Estilo de vida minimalista e o prazer do desapego

O estilo de vida minimalista aparece na minha vida quando decidi deixar o Brasil para fazer mestrado em outro país. Neste artigo conto tudo como é viver apenas o essencial. Uma vida apegada ao que realmente importa, muito mais leve e feliz.
Estilo de vida minimalista e o prazer do desapego

O minimalismo surgiu na minha vida quando decidi deixar o Brasil para fazer mestrado em outro país.
Foi quando, por falta de espaço nas bagagens, tive que resumir toda uma vida em apenas duas malas. Esse foi o primeiro contato forçado com o estilo de vida minimalista.

O que parecia algo complicado, se transformou em uma paixão e razão de viver. Acabei entendendo que na verdade é muito mais complicado viver com muito do que com o necessário.

Nos últimos 5 anos viajando pelo mundo como nômade digital, às vezes ainda descubro que tenho coisas que não são necessárias levar comigo. Minha última viagem pela Ásia levei apenas duas mochilas, uma com 15 kg e outra com menos de 10 kg para equipamentos fotográficos.

A viagem acabou durando mais de 8 meses e foi nesse momento que descobri o que realmente importa.

O qué o minimalismo como estilo de vida?

O minimalismo aparece com uma expressão ligada à arte, no começo do século XX. Ficou conhecido por utilizar poucos elementos, comparado às artes contempladas na época. O movimento também questionava aspectos sociais. Foi a partir dessa época que começou a surgir o minimalismo como estilo de vida.

Atualmente o estilo de vida minimalista é baseado em “ser” e “experimentar”, muito mais que possuir. É a capacidade de viver com o necessário, reduzindo e reutilizando bens materiais. O termo entrou ainda mais em discussão quando foram lançados documentários sobre o tema, um dos principais ‘Minimalism: A Documentary About the Important Things’ (tradução livre: `Minimalismo: um documentário sobre as coisas que importam`).

O conceito vai muito além de uma casa com poucos móveis ou um guarda-roupa reduzido. Vale a pena estudar um pouco mais para ir adotando um estilo de vida minimalista pouco a pouco.

O consumismo só atrapalha, viver com menos só ajuda

O consumismo atinge níveis cada vez mais altos nas últimas décadas, quando muitos de nós desenvolvemos um vício prejudicial à compra. Para ter uma ideia, uma pesquisa realizada pela CNDL/SPC Brasil (2019) mostra que 97% dos brasileiros têm dificuldades em adotar práticas de consumo consciente.

Esse é o principal fator para o endividamento da população e agressão ao meio ambiente. Cada bugiganga que consumimos possui um impacto direto no meio ambiente, influenciando diretamente nossas vidas.

Uma camisa, por exemplo, muitas vezes é feita por mão-de-obra barata em países pobres, com alto consumo de água para produção, de energia para seu transporte e depois para seu descarte. Cada vez que você compra algo novo, todo esse processo acontece.

Agora imagina tudo isso acontecendo para você poder usar uma roupa uma única vez? Ou pior, nem chegar a usar e deixar lá, no fundo do guarda-roupa e nunca mais lembrar que comprou. O consumo excessivo é o maior para mal nosso planeta.

“Na dúvida vou levar. É bonito. Depois vejo uma utilidade para isso”. Eu mesmo já escutei essa frase e fiquei completamente comovido. Por isso, se você está lendo esse artigo, nunca tenha esse pensamento.

Uma boa dica que eu sempre recomendo é fazer uma pequena auditoria em seus pertences e determinar quais deles realmente agregam valor à sua vida. Uma sugestão é começar com o guarda-roupa, garanto que você vai se surpreender com a quantidade de coisas que tem dentro dele e não fazem a menor falta.

Hoje viajo e trabalho ao mesmo tempo, não tenho uma casa fixa. Isso me fez aprender como viver com o minimalismo e o impacto foi positivo em todos os aspectos da minha vida.

Não poder levar tudo que tinha na minha casa, pareceu ruim no começo, mas hoje vejo que os benefícios são inúmeros e reaprendi a viver dar um valor diferente para o “possuir”.

Se você quer ser minimalista, é melhor levar seu ego para um bar e dizer para ele ir embora e nunca mais voltar. 😜

O estilo de vida minimalista

Antes de começar uma vida de nômade digital, deixei minha casa e tudo que não poderia levar nas minhas malas. Foi o primeiro momento onde nos entendi que as mudanças estavam começando. Esse foi o primeiro grande passo para um estilo de vida minimalista.

Essa redução contínua é realmente libertadora. Com menos coisas, me sinto leve e com menos preocupações. Sempre me questiono se realmente preciso e a importância na minha vida de algo que vou comprar.

“Colecionar experiências e não coisas… hoje esse é meu mantra.”

Quais os princípios do minimalismo?

Embora as práticas específicas possam variar entre os adeptos do minimalismo, alguns princípios comuns incluem:

  • Essencialismo: Identificar e focar apenas no essencial, eliminando o supérfluo. Concentrar-se no que é verdadeiramente importante e valioso para a sua vida.
  • Desapego material: reduzir a quantidade de pertences materiais, eliminando o excesso de posses e mantendo apenas o que é funcional ou significativo.
  • Qualidade sobre quantidade: escolher ter menos coisas, mas de maior qualidade. Priorizar produtos e experiências que realmente acrescentem valor.
  • Foco em experiências: valorizar experiências significativas em vez de acumular bens materiais. Isso pode incluir viagens, momentos com entes queridos e atividades que trazem satisfação pessoal.
  • Consumo consciente: tomar decisões de compra de forma consciente, evitando compras impulsivas e considerando o impacto ambiental e social dos produtos.
  • Sustentabilidade: adotar práticas sustentáveis e eco-friendly sempre que possível. Isso pode incluir escolhas de estilo de vida que minimizem o impacto ambiental.

É importante notar que o minimalismo não é uma abordagem única e rígida, afinal, as pessoas podem interpretar e aplicar esses princípios de maneiras diferentes, adaptando-os às suas próprias circunstâncias e valores pessoais.

Porque o estilo de vida minimalista mudará sua vida

Como expliquei antes, o minimalismo não é uma moda ou apenas um movimento social. É uma mudança total de paradigmas que devemos enfrentar. Precisamos tornar nossa maneira de viver mais funcional e deixar de agredir tanto nosso planeta que está pedindo socorro.

Como nossas ações, as coisas que compramos também precisam ter um propósito em nossas vidas.

Já passei 8 meses com uma mala de 15kg. O melhor de tudo? não senti falta de nada! não gastar horas escolhendo roupas novas toda semana ou quebrando a cabeça para combiná-las todos os dias me fez ganhar muito tempo no meu dia e viver de uma maneira muito mais fluida.

Entenda: a questão não é ter que vestir a mesma roupa todos os dias ou deixar de lado sua vaidade. É apenas ter um consumo consciente e usar o minimalismo a seu favor. Mudar do consumo físico para o de experiências pode tornar sua vida muito mais empolgante e sua evolução mais continuada.

Eu recomendo fortemente para as pessoas que enfrentam problemas com o consumismo em uma longa viagem. Depois de alguns meses tudo vai passar a ter um sentido comum e o prazer de consumir vai dar espaço a pequenos prazeres que antes tinham sido esquecidos. É sobre o bem-estar, ser leve e feliz.

estilo de vida minimalista ods monges

Como se tornar uma pessoa minimalista

A ideia de se tornar minimalista é ótima, mas afinal, por onde começar? Para algumas pessoas isso pode acontecer de maneira natural, principalmente se você está viajando constantemente ou já se tornou um nômade digital. Caso você queira fazer essa mudança levando uma rotina “sedentária”, é necessário ter uma mentalidade com mais disciplina e força de vontade.

Antes de qualquer coisa, é muito importante você entender porque quer ter um estilo de vida minimalista. Quais são seus objetivos e necessidades para essa mudança?

Após refletir sobre isso, é hora de colocar em prática as mudanças de hábito para simplificar a sua vida. Veja como fazer a seguir.

Passo a passo para um estilo de vida minimalista

1. Desapegue do que não é importante

O primeiro deles é se libertar. Faça uma grande limpeza e arrumação, veja tudo que você tem e reflita se é realmente necessário. Tome seu tempo e se não conseguir se livrar de tudo ao mesmo tempo, faça gradualmente. Mesmo tendo pouquíssimas coisas até hoje descubro coisas que não me fazem falta.

2. Avalie seus pertences

Deixe os itens que possuem mais apego de um lado que você possa vê-lo constantemente. Se depois de algumas semanas você ainda não tiver vontade de doar ou vender, talvez não seja o momento.

3. Adote o consumo consciente

Quando tiver vontade de comprar coisas novas, tente não comprar no momento. Pesquise, reflita e entenda se realmente é algo necessário ou apenas um desejo momentâneo.

4. Mude seus hábitos e relacionamentos

A vida minimalista também passa por outros aspectos além de compras. Alguns deles são: se livrar de relacionamentos complexos e cansativos, mudar a maneira como se alimenta para mais saudável, mudar alguns maus hábitos corriqueiros… enfim, muitos aspectos deixam sua vida mais carregada. O melhor é fazer uma lista com tudo que gostaria de melhorar e evoluir.

5. Revise os princípios aplicados

Após iniciar uma vida minimalista, faça uma revisão para entender o que mudou. Em muitos casos muitas surpresas acontecem nessa fase e você acaba ganhando um novo estímulo para continuar.

6. Entenda melhor sobre o movimento

Se pensar que o estilo de vida minimalista não é para você, tente entender melhor o que realmente ele representa e conhecer o que realmente te faz feliz.

Lembre-se de que o minimalismo é uma jornada pessoal e não uma abordagem única para todos. Você pode adaptar esses princípios de acordo com suas próprias circunstâncias e valores.

Minimalismo e seus benefícios

Ter menos coisas também significa ter menos problemas e uma vida mais leve. Se você ainda não está convencido de que o minimalismo melhorará sua qualidade de vida, veja esta lista de benefícios:

1. Economiza seu tempo e dinheiro

Com poucos itens você acaba economizando tempo de escolha, de arrumar, limpar e embalar. Uma das maiores diferenças fica por conta das roupas para escolher diariamente, tudo fica mais fácil, simples e rápido.

2. Conforto físico

Quando falamos em viagem, é muito mais legal viajar leve, sem uma montanha de malas. O transporte fica mais fácil e qualquer mudança de roteiro pode ser muito mais simples e você acaba aproveitando os imprevistos positivos que sua viagem pode oferecer.

3. Menos tempo perdido e preocupações

Com menos artigos para se preocupar, sua vida toma um gosto mais doce e menos ácido. Você será mais feliz e mais relaxado carregando menos. O minimalismo também assegura que se você perder o que tem, você pode substituir ou adquirir outro quando quiser.

4. Flexibilidade

Você pode alterar seus planos em um piscar de olhos quando possui menos bagagem ou coisas para se preocupar.

“Você não precisa carregar sua casa inteira para se sentir em casa. Seu lar é onde você está”.

Desvantagens de uma vida minimalista

  1. Menos escolhas: você terá poucas escolhas para se vestir e até repetir muitas vezes a mesma roupa. Por isso é importante ter sempre roupas neutras, principalmente se for passar muito tempo no mesmo lugar. Alguns grandes líderes usam a mesma combinação de roupa várias vezes durante a semana. A sociedade não está muito acostumada com isso, mas vai de você querer enfrentar e se importar mais com seu bem do que com o que os outros pensam.
  2. Restrições: Pode acontecer de você sentir um desejo de possuir algo que não será muito útil. No entanto, não vai comprar, mesmo querendo muito. Garanto que isso com o tempo se tornará algo tão natural que esses pensamentos são cada vez mais raros.
  3. Padrão econômico: as pessoas, muitas vezes, assumem que você é muito pobre ou muito estranho porque não possui muitas coisas materiais e vive uma vida tão pouco convencional.

Vale a pena ter um estilo de vida minimalista?

Quando sua vida estiver realmente minimalista, você notará grandes mudanças positivas que vão oferecer grande impacto na sua evolução. Sua saúde estará melhor, por comer alimentos mais básicos, orgânicos e naturais. A comida básica é a mais saudável, mais barata e mais disponível quando você viaja entre diferentes destinos.

Usará as redes sociais de maneira diferente, de modo que sua preocupação será completamente diferente de antes. Você terá mais tempo para se concentrar no que importa e também se educar enquanto viaja com uma mente aberta que não seja voltada para o consumismo.

Ser minimalista não é apenas sobre o que você carrega, mas também sobre suas ações e hábitos.

Finalmente, os benefícios da vida minimalista são valiosos para os viajantes de longo prazo e nômades digitais, torna a vida mais simples e ajuda você a se concentrar no que é mais importante: viver.

Com o minimalismo você vai descobrir que, quanto menos coisas tiver, mais tranquilo vai estar. É muito importante refletir sobre o consumismo sem sentido e ter a clareza de que ter menos não é passar necessidade.

Chegou a sua hora!

“Tentar ser feliz acumulando bens é como tentar satisfazer a fome gravando sanduíches por todo o corpo.” — George Carlin

Se você tem interesse em adotar um estilo de vida minimalista, aproveite para conferir 7 dicas para se tornar um nômade digital e descubra como focar no essencial ao começar nessa jornada.

Renato França

Renato França

Eu sou apaixonado pelo que faço e busco sempre evoluir um pouco a cada dia. Já passei por mais de 35 países, várias cidades e muitas experiências que fazem eu ver o mundo com olhos diferentes. Acredito no futuro sustentável e de colaboração. Sonhar é planejar o futuro.

1 comentário em “Estilo de vida minimalista e o prazer do desapego”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected
Rolar para cima